BUSCA RESULTADOS

Relatório de indicadores da atratividade da França de 2019

Vera dos Anjos mtb 14.534 - 31-oct.-2019 21:30:25
  RELEASE   A FRANÇA SE TORNOU, EM 2018, O PAÍS MAIS ATRAENTE DA EUROPA.   Uma economia apoiada por vantagens estruturais, uma dinâmica moderna para criação de empresas e uma evolução em direção à uma economia livre de carbono fazem da França um país altamente atraente .   Paris, Outubro de 2019 - A Business France e a Direção Geral do Tesouro da França publicam o “ Relatório de indicadores da atratividade da França de 2019 ” por ocasião do fórum “A França das Soluções”, realizado no dia 15 de outubro último. O relatório, publicado em sua 10 ª edição consecutiva, apresenta uma ampla gama de dados econômicos relacionados aos indicadores da atratividade da França, tendo como referência uma análise comparativa de 13 países: Alemanha, Áustria, Bélgica, Espanha, Finlândia, Irlanda, Itália, Holanda, Polônia, Reino Unido, Suécia, Estados Unidos e Japão.   As principais vantagens da economia francesa demonstrada pelos indicadores nesta edição são:   I.             Vantagens estruturais que contribuem para apoiar a atividade econômica:   a. A França desfruta de excelentes conexões às redes globais: infraestrutura aeroportuária de alta qualidade (Charles de Gaulle, é o segundo aeroporto de transporte de carga depois de Frankfurt e segundo no transporte de passageiros atrás de London Heathrow); o transporte ferroviário de mercadorias é igualmente desenvolvido (de acordo com a amostra, ocupa o terceiro lugar na Europa, depois da Alemanha e da Polônia). A reforma ferroviária de junho de 2018 previu um plano para renovar a rede ferroviária pelos próximos 10 anos.   b. As empresas estabelecidas na França se beneficiam de uma infraestrutura de telecomunicações de alta qualidade com uma das maiores taxas de penetração de banda larga fixa de alta velocidade entre os países analisados ​​ na amostra e, da mesma forma, uma das maiores taxas de penetração de Internet banda larga sem fio (segundo lugar). Lançado em fevereiro de 2013, o plano “ Banda larga de alta velocidade da França ” visa alcançar a integralidade do território francês até 2022, ou seja, propõe que todas as famílias, empresas e administrações públicas, tenham acesso à Internet de alta performance. c. Digitalização de serviços públicos. Graças a um governo eletrônico moderno e eficaz, a França pode acompanhar entidades e indivíduos privados na realização de grande parte de seus procedimentos. De acordo com a pesquisa de “governo eletrônico” da Organização das Nações Unidas (ONU), a França classifica-se em 9º lugar no mundo, no aspecto de governo eletrônico (5º lugar na Europa) e 4º lugar na amostra deste relatório. Nesse sentido, a França é classificada como particularmente eficaz em serviços on-line, ocupando, o 2º lugar no mundo. A digitalização dos serviços públicos é um importante desafio econômico. Exemplo: em 1º de janeiro de 2019 foi implementado o sistema de imposto retido na fonte para o imposto de renda.     II.          Uma dinâmica evolutiva para a criação de empresas com foco na indústria   a . A taxa de criação de empresas para a economia como um todo atingiu 10% na França em 2017, tornando-se a terceira economia depois do Reino Unido e da Polônia. Em relação à indústria de transformação, sua taxa atingiu 7,3% (superior a 7% desde 2009). Pode-se observar que, na Alemanha, em relação à indústria, o crescimento é negativo desde 2013. b. Em relação à indústria de transformação, a França é o país que registrou o menor aumento dos custos unitários de mão-de-obra em toda a amostra em 2018 (0,1%). Em comparação, os custos de mão-de-obra por unidade na indústria de transformação aumentaram 3% no Reino Unido e 2,3% na UE-28. c. A competitividade francesa nos custos relacionados às atividades de P&D foi fortalecida desde 2008; a França oferece um tratamento tributário mais vantajoso para as empresas (1º lugar na classificação). Na França, o Crédito Fiscal de Pesquisa (CIR em francês) tem como objetivo reduzir o custo de um pesquisador para as empresas. Estima-se que o CIR e outros subsídios associados reduzem o custo de um pesquisador na França em 28%. As despesas de P&D aumentaram 1,8% na França durante o ano de 2018, o aumento mais significativo nos últimos anos. III. Um passo firme em direção a uma economia livre de carbono a. Na França, os preços da eletricidade são especialmente atraentes para as empresas , eles estão entre os mais competitivos da Europa, dada a boa gestão da produção e da rede. A variabilidade no preço da eletricidade é igualmente baixa (a variabilidade de preço por 70.000MWh-150.000 MWh na França é de 0,3%, contra 0,9% na Alemanha e Irlanda, 1% na Itália e 0,2% correspondente à porcentagem média na União Européia). b. O crescimento do mercado verde , é também portador de oportunidades econômicas e de mão-de-obra, principalmente para as energias verdes. Os países mais avançados nestes setores do futuro atraem investidores internacionais interessados ​​ em se posicionar nestes setores. Segundo o EurObserv’ER, a Fran ç a posicionava-se em 2017 como terceiro maior empregador   europeu no setor de energias renováveis, com 140.700 empregos (0,5% da população ativa). Várias iniciativas governamentais foram tomadas neste sentido, nos últimos anos, tal como o Plano climático , para alcançar a neutralidade de carbono até 2050 ou o Acordo de Paris, concluído em 2015, para uma evolução em direção ao desenvolvimento sustentável. “ Nosso país progride em um grande número de fatores de atratividade, como tem sido demonstrado em sua progressão em diferentes classificações internacionais. Temos progredido bastante sobretudo em termos de inovação, competitividade de custos e no financiamento de empresas. Nosso país figura há mais de 15 anos em primeiro lugar dentre os países europeus que sediam projetos industriais. Esta performance consolida a ação determinada do Governo a serviço do incentivo à   indústria francesa. Além da implementação de incentivos fiscais para investimentos em robótica e transformação digital, temos a criação de 124 territórios industriais e a simplificação, atualmente em curso, dos processos administrativos. Também demos início à elaboração do Pacto Produtivo para o pleno emprego, a fim de aumentar a cota industrial de nossa economia ”, afirma Bruno Lemaire, Ministro da Economia da França e Finanças .  “ Os planos de ação propostos pelo Governo francês para reforçar as vantagens estruturais do país, bem como o fato de   manter, por exemplo, o “Crédito Tributário para Pesquisas” (Crédit Impôt Recherche) no campo industrial e de pesquisa, ou ainda vencer a batalha da industrialização com o Crédito Fiscal para a Competitividade e o emprego (CICE), todos estes fatores conjugados, juntamente com os anúncios feitos pelo Conselho Nacional da Indústria, nos permitiram, avançar nos critérios que melhoram a atratividade do país ”, afirma Christophe Lecourtier, Diretor Geral de Negócios da França. “A relevância concedida por nosso Governo à conquista de uma economia livre de carbono e à inovação tecnológica em iniciativas como Make Our Planet Great Again , One Planet Summit ou Tech for Good , na qual 80 líderes de grandes empresas do ecossistema se reuniram no mundo digital a fim de encontrar soluções inovadoras que impactam a proteção ambiental, mostra o caminho a seguir para novas gerações de startups no quadro de nossa economia inovadora ”, diz Pascal Cagni, embaixador delegado em investimentos internacionais .   Sobre a Business France Business France é a Agência Nacional de apoio à Internacionalização da economia francesa. Está encarregada do desenvolvimento internacional das empresas francesas e de suas respectivas exportações, bem como de prospectar e facilitar os investimentos estrangeiros na França. Ela promove a imagem econômica e a atratividade internacional da França, suas empresas e seus territórios; gerencia e desenvolve o Voluntariado Internacional nas Empresas - V.I.E.   A Business France dispõe de 1.500 colaboradores, localizados na França e em outros 58 países, tendo o apoio de uma rede de parceiros públicos e privados. Desde janeiro de 2019, no âmbito da reforma do mecanismo de apoio às exportações pelo Governo francês, a Business France cedeu em prol de parceiros públicos, o apoio às PME’s e ETI’s francesas nos seguintes mercados: Bélgica, Hungria, Marrocos, Noruega, Filipinas e Singapura. Para mais informações, visite : www.businessfrance.fr   @businessfrance   Contato de imprensa: Alexandre Barral Diretor Atratividade Business France Brasil E-mail : alexandre.barral@businessfrance.fr Tel : 30 87 31 23

A CHEGADA DAS SMART GRIDS E OS NOVOS DESAFIOS

Gabriella Martins - 25-sept.-2017 22:28:51
      BRASIL E FRANÇA ANALISAM AS PRINCIPAIS SOLUÇÕES   Esta semana, São Paulo realiza, de 19 a 21 de setembro, o principal encontro de utilities da América Latina, o LATIN AMERICAN UTILITY WEEK TRADE SHOW . Numa programação paralela a este evento, a Business France – Agência nacional de apoio à internacionalização da economia francesa , com o apoio da AES Eletropaulo , CPFL Energia , Grupo Energisa , Isa CTEEP , Abradee e Abrate , trouxe ao Brasil algumas empresas francesas de destaque neste setor, RTE International, Senseor e Arc Informatique, para troca de experiências com os principais players do setor.      Como explica Bruno Meyer - Business Development Manager da RTE International e responsável internacional da Associação francesa Think Smartgrid , “ - as empresas francesas estão discutindo as principais tendências de modernização que ocorrem hoje no mundo no setor das Smart Grids , com foco na integração e otimização das redes e no desenvolvimento de novas soluções. Um dos grandes desafios que teremos na França é a transformação que ocorrerá no parque automotivo francês: daqui até 2040, todos os veículos franceses deverão ser elétricos. Temos que estar prontos”.      Os sistemas de transmissão e distribuição de energia elétrica enfrentam atualmente vários desafios devido à uma importante mudança no cenário mundial: a necessidade de atender às demandas das populações urbanas em expansão, que utilizam cada vez mais equipamentos digitais, o avanço das fontes alternativas e renováveis (como a solar e a eólica sobretudo), a necessidade de uma energia que resista a ataques cibernéticos e intempéries naturais, que tenha uma capacidade de auto recuperação, etc.    Smart grids , ou “redes inteligentes”, são os sistemas de distribuição e de transmissão de energia elétrica que foram dotados de recursos de Tecnologia da Informação (TI) e de elevado grau de automação, de forma a ampliar substancialmente a sua eficiência operacional. Graças ao alto nível de tecnologia agregado, as Smart grids conseguem responder a várias destas demandas da sociedade moderna, tanto no que se refere às necessidades energéticas, quanto em relação ao desenvolvimento sustentável. Assim, as Smart grids também vêm sendo apontadas como uma ferramenta providencial para os países se ajustarem às demandas resultantes do Protocolo de Kyoto. A maior eficiência e controle do fluxo de energia oferecido pelas Smart grids , proporcionam um conjunto variado e abrangente de benefícios para consumidores, concessionárias de energia e para o próprio sistema elétrico como um todo . O coração deste sistema são os medidores eletrônicos inteligentes , versões mais modernas que os medidores convencionais, que disponibilizam uma série de funcionalidades inovadoras, como o envio de eventos e alarmes, além da possibilidade de medição remota .    Mas um dos principais desafios desta nova realidade é o econômico. A evolução do sistema deve ser feita com um custo controlado e otimizado, evitando superinvestimentos em uma infraestrutura superdimensionada ou ainda um sistema inutilmente sofisticado. A reorganização dos atores e a viabilidade de seus modelos de negócios para obter uma boa eficiência econômica, representam um verdadeiro desafio a vencer.   A segurança, eficiência e a confiabilidade do sistema elétrico são também um desafio fundamental . O novo sistema deve, no mínimo, ter a mesma disponibilidade que o sistema tradicional e para isto, os sistemas de comunicação devem estar tecnicamente adaptados e ser perfeitamente confiáveis e seguros.      Think Smartgrid      A Associação francesa Think Smartgrid , surgiu na França, em 2015 , para integrar a fileira de Redes Elétricas Inteligentes (REI), promovê-la e exportar as soluções ao redor do mundo. Ela agrega empresas de todos os portes - muitas vezes concorrentes entre si - mas dispostas a desenvolverem projetos em comum, para o desenvolvimento deste mercado. Esta também é uma forma de mobilizar eficientemente os fundos públicos, bem como os investimentos dos operadores gestionários das redes. A estimativa é que hoje, este mercado global atinja 30 bilhões de Euros. https://www.thinksmartgrids.fr/les-associes-observateurs/     Sobre a RTE INTERNATIONAL   A RTE International é uma filial da RTE - a gestora francesa de rede de transmissão de eletricidade. A RTE International foi criada em 2006, para desenvolver atividades de consultoria e de engenharia para clientes estrangeiros, localizados fora do território francês. Desde então, mais de 100 projetos foram realizados em cerca de 30 países ao redor do mundo e a empresa vem pela primeira vez apresentar seu portfólio de serviços de excelência ao mercado brasileiro.     A RTE International coordena a rede europeia ENTSO-E de operadores de sistemas de transmissão (Trasmission System Operator – TSO), o CIGRÉ – Conselho Internacional de Grandes Redes Elétricas e o VLPGO (Very Large Power Grid Operators) operadores de redes, incluindo o Operador Nacional do Sistema Elétrico – ONS), e desenvolve parcerias internacionais com empresas de transmissão e operadores de sistema. Ela possui uma grande expertise em interconexão de redes, operação de sistema elétrico, gestão da rede e manutenção de alta tecnologia. http://www.rte-international.com/Home/Welcome       Sobre a ARC INFORMATIQUE   A ARC Informatique é uma empresa francesa, líder europeu em automação e tecnologia da informação para a indústria. A empresa, também presente no Brasil , oferece um conjunto de produtos de software e hardware adaptados para o mercado brasileiro de gerenciamento predial, energia, O&G, indústria, infraestrutura, transportes e estações de tratamento de água e esgoto, através de uma gama de produtos e serviços como o PCVUE (HMI/SCADA), estação de trabalho HMI (human machine interface), gerenciamento de plantão, software de relatórios, gerenciamento de rede e aquisição de dados. http://brazil.pcvuesolutions.com/       Sobre a SENSEOR   A SENSEOR é uma empresa francesa de alta tecnologia que utiliza as ondas acústicas de superfície (Surface Accoustic Waves – SAW) para conceber sensores térmicos passivos, exclusivos, e sem fios. Ela possui 10 anos de experiência e faz parte do Grupo Wika desde 2012.   A tecnologia da Senseor se distingue no mercado pela sua manutenção quase inexistente e pela possiblidade de mensuração de campos eletromagnéticos e sob radiação, peças em rotação, sob altas temperaturas e sob pressão, que atualmente são de medição difícil e dispendiosa. Possui soluções para monitoramento de equipamentos de T&D, combinando temperatura on-line e monitoramento de descarga parcial, com um sistema de plug and play modular e econômico, baseado em sensores passivos e sem fio. www.senseor.com       Contatos imprensa:     Vera dos Anjos   Responsável de Comunicação   vera.dosanjos@businessfrance.fr   Tel.: (11) 3087 3122     Sobre a Business France:   Business France é a agência nacional de apoio à internacionalização da economia francesa, responsável por impulsionar o crescimento das exportações de empresas francesas, bem como prospectar e facilitar os investimentos estrangeiros na França. Ela promove a atratividade e a imagem econômica da França, suas empresas e seus territórios. A Business France conta com 1.500 colaboradores, situados na França e em 70 países, que trabalham com uma rede de parceiros do setor público e privado. Para mais informações, visite : www.businessfrance.fr

CONHEÇAM AS TECNOLOGIAS FRANCESAS QUE ESTARÃO NO BRASIL

Gabriella Martins - 18-sept.-2017 19:04:53
Paralelamente ao evento LATIN AMERICAN UTILITY WEEK trade show que ocorre nesta próxima semana (de 19 a 21 de setembro de 2017, no Transamérica Expo Center), a Business France – agência nacional de apoio à internacionalização da economia francesa - reunirá no Brasil alguns dos mais importantes players franceses do setor de Smart Grid , interessados em compartilhar suas experiências e savoir-faire com o mercado brasileiro.      Com o apoio da AES Eletropaulo, CPFL Energia, Grupo Energisa, Isa CTEEP, Abradee, e Abrate, as empresas francesas RTE International, ARC Informatique e SENSEOR apresentarão na sede da Business France em São Paulo (rua Marina Cintra, 94 – Jardim Europa) , toda a expertise francesa em Transmissão e monitoramento de redes de energia elétrica.      Vejam abaixo quem são estas empresas, suas experiências no mercado internacional e de que forma elas podem contribuir com o sistema brasileiro:      A RTE International é uma filial da RTE - a gestora francesa de rede de transmissão de eletricidade . A RTE International foi criada em 2006, para desenvolver atividades de consultoria e de engenharia para clientes estrangeiros, localizados fora do território francês.     Desde então, mais de 100 projetos foram realizados em cerca de 30 países ao redor do mundo e a empresa vem pela primeira vez apresentar seu portfólio de serviços de excelência ao mercado brasileiro.    A RTE International coordena a rede europeia ENTSO-E de operadores de sistemas de transmissão (Trasmission System Operator – TSO), o CIGRÉ – Conselho Internacional de Grandes Redes Elétricas e o VLPGO (Very Large Power Grid Operators) operadores de redes, incluindo o Operador Nacional do Sistema Elétrico – ONS), e desenvolve parcerias internacionais com empresas de transmissão e operadores de sistema.    Ela possui uma grande expertise em interconexão de redes, operação de sistema elétrico, gestão da rede e manutenção de alta tecnologia . Seu representante Bruno Meyer – Business Development Manager e Responsável internacional da Associação francesa Think Smartgrid, também participará do Latin American Utility Week Trade Show com uma palestra no dia 20/09.     http://www.rte-international.com/Home/Welcome   https://www.thinksmartgrids.fr/les-associes-observateurs/           A ARC Informatique é uma empresa francesa, líder europeu em automação e tecnologia da informação para a indústria.    A empresa dedica-se há mais de 30 anos em oferecer soluções para monitoramento e controle de processos complexos e segurança.    A Arc Informatique investe constantemente em novas tecnologias que se integram em produtos que permitem aos seus clientes reduzir os custos de produção, gerir o consumo de energia e otimizar os processos produtivos e as instalações.  A empresa oferece um conjunto de produtos de software e hardware adaptados para o mercado brasileiro de gerenciamento predial, energia, O&G, indústria, infraestrutura, transportes, e estações de tratamento de água e esgoto, através de uma gama de produtos e serviços como o PCVUE (HMI/SCADA), estação de trabalho HMI ( human machine interface ), gerenciamento de plantão, software de relatórios, gerenciamento de rede e aquisição de dados.     Adriano Pedroso Puda – Gerente Comercial para o Brasil   http://brazil.pcvuesolutions.com/             A SENSEOR é uma empresa francesa de alta tecnologia que utiliza as ondas acústicas de superfície (Surface Accoustic Waves – SAW) para conceber sensores térmicos passivos, exclusivos, e sem fios.    A empresa possui 10 anos de experiência e faz parte do Grupo Wika desde 2012. Seu time de especialistas é composto por engenheiros que fornecem serviços de engenharia de campo e de desenvolvimento customizados, além de um amplo portfólio de sensores padrão de aplicação na Indústria e no setor de Energia.    A tecnologia da Senseor se distingue no mercado pela sua manutenção quase inexistente e pela possiblidade de mensuração de campos eletromagnéticos e sob radiação, peças em rotação, sob altas temperaturas e sob pressão, que atualmente são de medição difícil e dispendiosa. A empresa é membro da associação francesa Think Smartgrids.   Em sua vinda ao Brasil, a empresa vai apresentar aos potenciais parceiros e clientes suas últimas soluções para monitoramento de equipamentos de T&D, combinando temperatura on-line e monitoramento de descarga parcial, com um sistema de plug and play modular e econômico, baseado em sensores passivos e sem fio.      Stéphane Tourette – Engenheiro e PhD da Senseor representará a empresa na ocasião.   www.senseor.com       Serviço:   Data: Dia 18 de Setembro de 2017   Local: Sede da Business France em São Paulo   Rua Marina Cintra, 94 – Jardim Europa – cep 01446-901   Contato comercial :   Arthur Orlando Gerente Comercial Setor de Energia Departamento de Indústrias e Cleantech arthur.orlando@businessfrance.fr Tel.: (21) 3974 6884     Imprensa :   Vera dos Anjos Responsável de Comunicação vera.dosanjos@businessfrance.fr Tel.: (11) 3087 3122 ou Gabriella Martins Assistente gabriella.martins.int@businessfrance.fr Tel.: (11) 3087 3100 – ramal 170  

A França: um destino cada vez mais atrativo…

Gabriella Martins - 26-mai-2017 17:35:24
    A França: um destino cada vez mais atrativo…     A França foi o destino de 1.117 decisões de investimento por parte de empresas estrangeiras em 2016, ou seja, 21 decisões em média por semana e um crescimento de 16% em relação a 2015. Essas decisões criaram ou mantiveram 30.108 empregos no ano.      É o melhor resultado já registrado pela França ao longo dos dez últimos anos , como demonstra o “Relatório sobre a internacionalização da economia francesa – Balanço dos investimentos estrangeiros na França em 2016”.     A França atrai novas empresas . O número de novas implantações no país cresceu 20% em 2016 e representa a maioria dos investimentos decididos no ano (51%).     Logística, produção e inovação são os propulsores dessa tendência . As empresas estrangeiras investem em primeiro lugar nas atividades de produção e logística com 31% de investimentos realizados no país e 50% de empregos criados.      A internacionalização na França é uma etapa para uma internacionalização mais global. Em 2016, 30% das exportações francesas foram realizadas por filiais de grupos estrangeiros implantados na França.     O posicionamento geográfico da França, associado às infraestruturas de transporte de qualidade, a tornam um hub para o acesso a outros continentes. Mais de 80% das empresas estrangeiras consideram a França como uma plataforma para a exportação.     A inovação também está no centro das estratégias de implantação na França. Os projetos de pesquisa e desenvolvimento representam 10% das decisões de investimento; eles aumentaram 32% em relação a 2015. No geral, a contribuição das filiais dos grupos estrangeiros para os investimentos em pesquisa e desenvolvimento na França é de 28%.   A Alemanha e os Estados Unidos apostam na França. Os principais investidores na França são, pela primeira vez, as empresas alemãs (17%), que investem principalmente na produção de bens. As empresas americanas representam 13% dos investimentos totais, e ¼ dos investimentos em P&D. Os investimentos italianos representam 13% do total e o Japão é o primeiro investidor asiático.   Os países da União europeia são os primeiros investidores na França, representando 60% das decisões de investimento. Vêm depois a América do Norte (20%) e a Ásia (12%).   Os investidores estrangeiros beneficiam-se de um apoio real em seus processos de investimento. A Business France, agência publica que promove a atratividade econômica da França, e seus parceiros regionais estão na origem de mais da metade das decisões de investimento (643 em relação às 1.117 decisões). Em 2016, 3.360 empresas estrangeiras foram contatadas pelas equipes da agência na França e no exterior.   « A contribuição do investimento estrangeiro à economia de nosso país não precisa mais ser demonstrada, principalmente na P&D e na produção industrial. As filiais dos grupos estrangeiros empregam 21% dos funcionários na França nos setores da indústria. As equipes da Business France se dedicam todo o dia a convencer investidores estrangeiros da atratividade de nosso território, com o apoio de nossos parceiros regionais” constata Muriel Pénicaud, Diretora Geral da Business France.      … Também paras as empresas latino-americanas   A América Latina deu início à sua internacionalização e a França se posiciona como um destino estratégico. Mais de uma centena de empresas da América Latina estão presentes na França, as quais empregam mais de 4.000 funcionários.     RANKING DAS EMPRESAS LATINOAMERICANAS NA GERAÇÃO DE EMPREGOS NA FRANÇA     EMPRESA ORIGEM SETOR EMPREGOS CEMEX México Construção 2.000 VALE Brasil Metais 1.000 – 1.500 JBS Brasil Agrobusiness 700 - 800 MEXICHEM México Química 400 - 500 SIGDO KOPPERS Chile Construção 400 - 500     A França representou em 2016 25% dos investimentos latino-americanos na Europa, sendo um nível equivalente ao da Espanha (25%). Seguem a Suíça, o Portugal e a Alemanha (10% cada um). Em 2016, sete novos investimentos provenientes da América Latina foram realizados, permitindo assim, a criação de 89 empregos.   Os ¾ desses investimentos tinham como objetivo a criação de matrizes europeias, essencialmente no setor de softwares e informática, e de distribuição/supermercadista. Eles estão majoritariamente localizados na região da PACA e da Île-de-France.         Três empresas brasileiras se implantaram na França em 2016:     MOVILE: a empresa Maplink, que desenvolve softwares para a geolocalização e a logística, faz parte do grupo Movile desde 2004. Maplink comprou a empresa francesa Optilogistic, especializada em softwares de eficiência logística e implantada na cidade de Angers, na região Pays-de-la-Loire. Essa operação de 20 milhões de euros deverá criar mais de 20 empregos em Angers.     100%: A empresa 100%, especializada na moda praia, abriu sua primeira subsidiária europeia em Marseille. O escritório de Marseille vai empregar umas 10 pessoas.     BRB Bijoux: especializada na criação de bijuterias e produtos gourmets (brigadeiros), a empresa abriu sua sede europeia na França. Seus clientes são restaurantes, organizadores de eventos, padarias, pequenas lojas de moda, etc. Depois da França, a empresa quer expandir-se em outros países europeus (Itália, Espanha, Portugal, etc.)     O programa French Tech Ticket valoriza a qualidade das startups latino-americanas na conquista do mercado francês     Convencida da importância do papel das startups na economia de amanhã, a França quer internacionalizar o ecossistema empresarial, atraindo para seu território talentos, startups, scale-ups, investidores e mídias internacionais     Dentre os diversos programas desenvolvidos, o French Tech Ticket v isa a facilitar a criação de startups internacionais na França , através de uma série de vantagens:     Financiamento de € 45,000 por time sem perda de capital (€ 20k para cobrir despesas pessoais e € 25k para cobrir serviços profissionais). 12 meses de incubação em uma das 41 incubadoras francesas parceiras. Procedimento acelerado para a obtenção de uma permissão de residência francesa. Programa de Aceleração com aulas inaugurais sob medida, eventos para networking e sessões de mentoring. “Guia de Boas-Vindas” e ofertas especiais de nossos parceiros a fim de auxiliar os ganhadores a se instalarem facilmente na França. Contato de assistência no formato “ Help Desk ” aos empreendedores estrangeiros para procedimentos administrativos.   Em dois anos, 230 empreendedores estrangeiros foram selecionados, após a análise de 4.500 candidaturas provenientes de mais de 100 países, para lançar suas startups na França e se beneficiar das facilidades e do acompanhamento específico proposto pelo Estado francês e pelos parceiros do programa French Tech Ticket.   Prova do espírito de inovação latino-americano , as startups da região ocupam um lugar significativo no concurso French Tech Ticket. Em 2016, elas apresentaram 389 projetos , representando cerca de 14% dos projetos globais e um crescimento de 170% em relação a 2015. As empresas brasileiras apresentaram 118 projetos em 2016 versus 76 em 2015.   Prova da qualidade do empresariado latino-americano , 14 startups latino-americanas foram premiadas, representando 20% do total de premiados no mundo.   O Brasil está no alto do pódio com a 4ª colocação mundial em termos de premiados, com sete startups, que representam 50% dos premiados latino-americanos e 10% dos premiados mundiais.       As seguintes empresas brasileiras foram selecionadas:       BIZ.U – Rio de Janeiro   Startup de análise de RH. Mede traços de personalidade e os transforma em dados sobre o comportamento e a compatibilidade do candidato para um determinada vaga de emprego, ajudando assim, a tomada de decisão do RH ( WWW.BIZU.VC )     CUBOS – Sao José (Santa Catarina)   Concepção e produção de satélites de baixo custo para instituições e governos, no mundo todo, a fim de lançar missões espaciais com maior frequência e de maneira mais econômica ( WWW.CUBOS.SPACE )     GIGLOOP - Joinville   Gigloop racionaliza a reserva de talentos da música para performances live ( WWW.GIGLOOP.COM )     KG PROTECH – São Paulo   KG Protech propõe a formação de técnicos automotivos à distância simulando defeitos dentro de um carro graças a seus dados próprios ( WWW.KGPROTECH.COM )     NURTURE – Porto Alegre   Um app com uma assistente inteligente que troca mensagens de SMS com pacientes e os analisa utilizando algoritmos de machine learning para detectar o nível de humor e motivação dos pacientes. Um conteúdo baseado em teorias comportamentais é enviado para encorajar a adesão dos pacientes a tratamentos e regimes (WWW.NURTURE.BE)     SOLUZ ENERGIA - Florianópolis   Consiste em um equipamento de troca de calor preso em um painel fotovoltaico para recuperar a energia termal residual, esquentando a água e esfriando as células. Dessa forma, o consumo de eletricidade é reduzido ( WWW.SOLUZENERGIA.COM )     WISEREADER – Sao Paulo   Cria livros digitais personalizados seguindo as preferências de cada leitor.     ( WWW.WISEREADER.IO )     Para melhor acolher esses talentos e as mulheres e os homens que encabeçam esses projetos, a França põe à disposição um dispositivo específico e moderno     O site « Welcome to France » , lançado pela Business France, é um serviço de informação destinado aos talentos estrangeiros e às suas famílias, em deslocamento/mobilidade profissional. Ele tem por objetivo os guiar nas primeiras etapas da expatriação na França, oferecendo um site único que concentra o conjunto das informações e etapas necessárias para otimizar a sua chegada na França (visto, título de residência e autorização de trabalho, fiscalização, proteção social, dia-a-dia – escolarização, moradia, etc.)     Segundo Michel Sapin, Ministro da Economia e das Finanças, “A implantação de dispositivos completos de acolhimento é útil e necessária para fazer do nosso país um espaço acolhedor para todos aqueles que queiram trabalhar, montar seus negócios, investir na França.   Essa facilitação dos procedimentos é uma etapa chave na nossa política em prol da atratividade do nosso país. Outras ações foram promovidas nesse sentido nos últimos meses, especialmente com a implantação de um regime fiscal mais favorável para estes talentos recentemente instalados em nosso país. Dessa forma, a Lei de Finanças para 2017 adotou a prorrogação para oito anos do regime especial aplicado aos expatriados. Essas disposições colocam a França entre os países melhores dotados na Europa para receber talentos. Enfim, o governo comprometeu-se em abrir turmas internacionais, o quanto for necessário, nos colégios e liceus franceses a fim de facilitar a escolarização dos filhos destes expatriados. ”     O “French Tech Visa” também será lançado no outono de 2017. Esse dispositivo se apoia sobre o novo título de residência francês “Passeport Talent” que foi lançado no final de 2016 (um título de residência com duração máxima de quatro anos, renovável, e que tem como objetivo facilitar o acesso ao direito de residência aos talentos que a França pretende acolher cada vez mais) e oferece um acompanhamento passo-a-passo para a obtenção dos títulos de residência.  

Resultados favoráveis da Alstom em 2015/16

Victoria Franco - 23-mai-2016 17:45:44
Um ano comercial recorde Um desempenho operacional excelente Um balanço sólido Os objetivos 2020 confirmados   Entre 1º de abril de 2015 e 31 de março de 2016, a Alstom registrou um desempenho comercial recorde com contratos firmados de 10,6 bilhões e uma carteira de projetos de 30,4 bilhões de euros. Durante esse mesmo período, o faturamento, que atingiu 6,9 bilhões de euros, cresceu 12% (7% em perímetro e taxas de câmbio constantes). O lucro operacional chegou a 366 milhões de euros, em elevação de 23% em relação ao último ano, ou seja, uma margem de 5,3%. O lucro líquido (quota do Grupo) atingiu 3,0 bilhões de euros, computando-se a venda das atividades “Energia” à General Electric e após o impacto de depreciações excepcionais, principalmente na França. A Alstom dispõe atualmente de um balanço muito sólido. A dívida líquida caiu para 0,2 bilhão de euros em 31 de março de 2016 contra 3,1 bilhões de euros em 31 de março de 2015. Os capitais próprios eram de 3,3 bilhões de euros em 31 de março de 2016. Após a distribuição de 3,2 bilhões de euros aos acionistas através de uma oferta pública de compra de ações, o conselho de administração proporá a não distribuição de dividendos por ocasião da próxima assembleia geral anual. Números chave (em milhões de euros) 2014/15 2015/16 % variação publicada % variação orgânica Dados publicados         Carteira de projetos 28.394 30.363 7% 14% Contratos assinados 10.046 10.636 6% 7% Faturamento 6.163 6.881 12% 7% Lucro operacional ajustado 298 366 23%   Margem operacional ajustada 4,8% 5,3%     Lucro líquido – Cota do Grupo (719) 3.001     Cash-flow livre (429) (2.614)     Caixa / (Dívida) líquida (3.143) (203)         " 2015/16 é o segundo ano consecutivo de recorde comercial da Alstom, especialmente graças a um grande projeto de locomotivas elétricas na Índia e êxitos em todas as regiões e linhas de produtos. A progressão do faturamento ultrapassou as expectativas com uma alta orgânica média superior a 5% nos últimos quatro anos. O resultado operacional ajustado aumentou mais de 20%. O balanço foi reforçado pela transação com a General Electric. Nossa estratégia está sendo aplicada e nos permite confirmar nossas previsões para 2020 ", declarou Henri Poupart-Lafarge, Presidente da Alstom.

A França apresenta Créative Industry na Feira de Hannover

Victoria Franco - 20-mai-2016 21:34:08
Esta iniciativa pretende promover a indústria francesa no mundo   Hannover, 26 de abril de 2016 – A Business France, agência responsável por promover a internacionalização da economia francesa, anuncia o lançamento da « Créative Industry », uma iniciativa destinada a difundir internacionalmente o know-how industrial e a criatividade da França. Emmanuel Macron, Ministro da Economia, Indústria e Assuntos Digitais, apresenta hoje, na Feira de Hannover, a « Créative Industry », uma campanha que ressalta a ambição do país em destacar-se novamente como grande potência da indústria mundial. Sete grandes empresas francesas demonstrarão nessa ocasião de que forma as tecnologias francesas contribuem, em sete setores chave da inovação tecnológica, para construir a indústria do futuro. Créative Industry é um braço da « Créative France », campanha de promoção da imagem e atratividade econômica da França, divulgada em dez países prioritários, dentre os quais a Alemanha, e valoriza diferentes setores econômicos, sobretudo as novas tecnologias, a ciência, a saúde, o turismo e os transportes. Esta campanha, criada pela Business France, foi lançada no ano passado pelo Governo francês. Através do lançamento da Créative Industry, o Ministro da Economia, Indústria e Assuntos Digitais Emmanuel Macron, abre, por ocasião da Feira de Hannover, uma primeira porta da campanha Créative France, destacando as inovações industriais francesas que tornam possível a transformação tecnológica e digital da indústria francesa e além dela. «Hoje, estou muito orgulhoso por lançar a iniciativa Créative Industry em Hannover, no âmbito da maior feira industrial do mundo, para fazer valer os trunfos industriais singulares de nosso país: a França, através de suas empresas – pequenas, médias ou grandes –, inova, empreende, cria e abre-se para o mundo», declara Emmanuel Macron. «O dinamismo das parcerias com as empresas alemãs também irá permitir reforçar o setor industrial francês». As sete empresas francesas inovadoras a seguir representam hoje a vitrine da Créative Industry: Enertime (que operacionaliza a termodinâmica para a produção de energia limpa), Flax Technic (que produz uma fibra técnica a partir da fibra natural do linho, para uso industrial), ESI (um dos líderes mundiais em prototipagem virtual), BA Systèmes (líder  francês  em  sistemas  logísticos  internos  para  a  condução automática de veículos na indústria), Prodways (n°1 na França da manufatura aditiva), STIL (líder mundial em sensores confocais cromáticos que atendem às necessidades de medição de distâncias sem contato e de alta resolução) e Diota (soluções de realidade aumentada na indústria).   A França lidera a corrida que envolve os novos segmentos industriais A indústria francesa é particularmente forte e diversificada, cobrindo os setores de máquinas-ferramentas, transportes, metalurgia, saúde, indústria química, mas também diversos setores tecnológicos de ponta, tais como a modelagem 3D, a prototipagem virtual, a robótica e os materiais compósitos. A França é o primeiro destino na Europa dos investimentos em produção manufatureira. «Recentemente, identificou-se na França o dinamismo de sua inovação e a criatividade de suas empresas – tanto de suas multinacionais, quanto de suas jovens empresas. Há vários anos, a França é o destino nº 1 dos grandes projetos industriais (cf. relatório EY 2015). Além disso, os 2/3 das exportações francesas dizem respeito a produtos industriais, atingindo 420 bilhões de euros por ano e cada emprego criado na indústria, gera até outros quatro em outros setores. Graças a uma mão-de-obra extremamente qualificada e aos grandes investimentos em P&D, nossa indústria é plenamente capaz de desfrutar das novas tendências, tais como a internet dos Objetos, o big data ou as cidades conectadas, caso não esteja diretamente na vanguarda nessas áreas», assinala Muriel Pénicaud, Embaixadora Responsável pelos Investimentos Internacionais e Diretora Geral da Business France. «A excelência em matéria de matemática, engenharia, design e empreendedorismo da França são as bases da nossa indústria. Ela permitirá múltiplas inovações, necessárias à sua transformação tecnológica e digital e a de outros países no mundo», acrescenta Muriel Pénicaud. Na Feira de Hannover, as aplicações inovadoras apresentadas pelas empresas parceiras da Créative Industry estarão expostas no Hall 8, estande A19. *** Para maiores informações sobre a Créative France: Site da campanha:   creative.businessfrance.fr   Acompanhe a iniciativa nas redes sociais: Twitter   e   YouTube   Business France   é a agência nacional de apoio à internacionalização da economia francesa, responsável por impulsionar o crescimento das exportações de empresas francesas, bem como prospectar e facilitar os investimentos estrangeiros na França. Ela promove a atratividade e a imagem econômica da França, suas empresas e seus territórios, e também se ocupa da gestão das candidaturas VIE (Voluntariado Internacional na Empresa). Criada em 1º de janeiro de 2015, resultado da fusão entre a UBIFRANCE e a AFII (Agência Francesa para Investimentos Internacionais), a Business France conta com 1.500 colaboradores, situados na França e em 70 países, que trabalham com uma rede de parceiros do setor público e privado.     Contato imprensa:   Cynthia Odsi cynthia.odsi@businessfrance.fr Fone: +33 1 40 74 74 15   Marie Frocrain Marie.frocrain@havasww.com Fone: + 33 6 04 67 49 75     *O release e o press kit em francês estão disponíveis para download abaixo.

Brasil: Faiveley Transport fornecerá portas de plataforma para a Linha 6 - Laranja do metrô de SP

Victoria Franco - 20-mai-2016 20:09:48
A empresa francesa Faiveley Transport fechou um contrato de milhões de euros com a MHI Transportation Systems Brasil Limitada (MTSB), subsidiária brasileira da Mitsubishi Heavy Industries, LTD.,  para o fornecimento de portas de plataforma destinadas à futura Linha 6 – Laranja do metrô de São Paulo. Com aproximadamente 15,3 km e 15 novas estações, a Linha 6 – Laranja vai da estação São Joaquim até a Brasilândia. Essa nova linha representa um grande passo no desenvolvimento do sistema de transporte metropolitano para amenizar os principais problemas de tráfego nessa cidade brasileira tão populosa que é São Paulo. Uma vez pronta, a linha deve transportar mais do que 630.000 passageiros por dia. O grupo Faiveley Transport será responsável pelo desenvolvimento de estudos, design, fabricação, entrega, instalação e comissionamento das portas para 30 plataformas, que juntas somam 3.960 metros de fachada para prevenir acidentes de passageiros e garantir viagens de trem mais seguras. Algumas subsidiárias do Grupo estão envolvidas no processo: a engenharia será gerida pela Saint Pierre des Corps (França), enquanto a fabricação será realizada em Xangai (China), com o apoio de Hong Kong (China).  O gerenciamento do projeto, a interface do cliente, instalação, teste e  comissionamento acontecerão em São Paulo, capital. É esperado que a linha seja entregue em 2020.   Rémi Causse, Presidente da Divisão de Acesso & Mobilidade, disse: “Estamos muito satisfeitos por trabalhar com a Mitsubishi Heavy Industries nesse projeto. Esse contrato permite que a Faiveley Transport mantenha sua posição de líder no mercado de portas de plataforma na América Latina. Além disso, demonstra nossa capacidade de ser um parceiro de longo prazo através do apoio a novos clientes em todas as regiões do mundo, graças à nossa compreensão das necessidades e conhecimento de portas de plataforma adquiridos ao longo de 30 anos de experiência.”   Sobre o grupo Faiveley Transport: Faiveley Transport é um fornecedor global de sistemas integrados de equipamentos ferroviários a um alto valor agregado. Com mais de 5.700 funcionários em 24 países, a Faiveley Transport gerou vendas de 1.048 milhões de euros ao longo de 2014/2015. O grupo fornece fabricantes, operadores e organismos de manutenção ferroviária mundialmente, com a mais ampla gama de sistemas dos mercados de Energia & Conforto (ar-condicionado, coletores e conversores de energia e informações sobre passageiros) e Freios & Segurança (sistemas de acesso de passageiros e portas de plataforma).   Contatos: Charlotte Rougeron – Gerente de Comunicação do Grupo - charlotte.rougeron@faiveleytransport.com Domitille Vielle – Gerente de Comunicação de Finanças do Grupo - domitille.vielle@faiveleytransport.com   Fonte: 25 April 2016 http://inpublic.globenewswire.com Site oficial da empresa : http://www.faiveleytransport.com/ Indústria Ferroviária Francesa: http://business.youbuyfrance.com/french-rail-industry/companies
Conheça nossa equipe
  Richard Gomes - Diretor Business França América Latina. Depois de completar seu VIA no Brasil em 1996, Richard Gomes ocupou vários cargos de Direção no setor das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) na França, Portugal e Califórnia. Ele liderou o departamento de Novas Tecnologias, Inovação e Serviços em Ubifrance, em Paris, de 2009 a 2012 e foi Diretor de Negócios França-Península Ibérica de 2012 a 2017, antes de retornar ao Brasil em setembro de 2017. Sua experiência em TIC, bem como seu bom conhecimento sobre o ambiente tecnológico francês e americano, permitiram que ele fosse eleito entre as 100 personalidades digitais na França pela revista 01Informatique (novembro de 2010). Richard possui um DESS em Bancos e finanças e mestrado em economia e finanças internacionais pela

Leia mais

Facebook
Area de Imprensa & Mídia
Lista de últimos comentários

Excelente evento! Parabéns pela org...

Mauro Henrique Pereira | octobre 22, 2014

O Seminário foi um sucesso. Parab&#...

Peter Alouche | mars 26, 2013

Parabenizo à UbiFrance pela realiza...

Marcelo Sakai | Covoiturage/Caronas | djengo.com.br | mars 19, 2013