Business France Brésil

Appel à candidature prestataires de service

Cristina Afonso - 10-sept.-2018 20:48:11

Appel à candidature – prestataires de service   Business France est souvent sollicitée pour recommander des entreprises à ses clients, s’agissant de services qu’elle ne fournirait pas directement ou indirectement, en raison du principe de spécialité qui s’impose aux établissements publics. Dans ce cadre, Business France Brésil lance une procédure de référencement de prestataires de services qui peuvent offrir des prestations périphériques et complémentaires à son action, selon le calendrier suivant : ·          Date limite de réception des offres : 28/09/2018 ·          Validation du choix par BUSINESS FRANCE : 05/10/2018 ·          Début d’exécution du référencement : 08/10/2018   Pour toute information sur cet appel à candidature / pour recevoir les dossiers de candidature, merci de contacter Cristina Afonso ( cristina.afonso@businessfrance.fr ) (011) 3087 3129    


Relatório sobre a internacionalização da economia francesa – Balanço de 2017

Vera Dos Anjos - 04-avr.-2018 23:13:47

      RELEASE As empresas estrangeiras confirmam cada vez mais a escolha  da  França para suas implantações na Europa   Brasil se destaca na América Latina: é o primeiro país em número de investimentos  na  França  com  14 projetos, seguido pelo México com 7 projetos.   Paris, 03 de abril de 2018.     O "Relatório sobre a internacionalização da economia francesa – Balanço de 2017 dos investimentos estrangeiros na França", confirma a confiança renovada dos investidores estrangeiros na França. Os números foram revelados em uma coletiva de imprensa realizada na sede da empresa americana Cisco, nos arredores de Paris, pelo ministro da Economia e Finanças, Bruno Le Maire e pelo Diretor Geral da Business France, Christophe Lecourtier. Em 2017, foram 1.298 decisões de investimentos na França, ou seja, um crescimento de 16% em relação a 2016 - uma média de 25 decisões por semana, que criaram ou mantiveram 33.489 postos de trabalho. 412 novas empresas decidiram escolher a França para desenvolver suas atividades, o que representa 32% do total dos projetos. Deve-se notar que 50% dos investimentos correspondem a aberturas de novos negócios (+14% em relação a 2016) e que 42% dos investimentos são extensões da atividade de negócios existentes (+ 22% em relação a 2016). "Este aumento do número de decisões de investimentos e do número de empregos ressalta a expansão da confiança em relação a uma França em movimento. A imagem econômica do nosso país está claramente em alta: de acordo com o estudo realizado pela Kantar Public para a Business France, 84% dos investidores estrangeiros (+ 10% em relação a 2016) julgam a economia francesa "atraente", assinala Christophe Lecourtier, Diretor Geral da Business France. As empresas estrangeiras investem principalmente em atividades de produção. Estas somaram 343 decisões de investimento em 2017 e criaram 16.123 empregos, o que representa 26% de todos os investimentos (e um aumento de +23% em relação a 2016). Os investimentos realizados pelas empresas alemãs (1º investidor de produção), americanas, italianas e belgas respondem por quase metade dos investimentos no setor de produção. Os projetos de pesquisa & desenvolvimento e engenharia respondem por 10% de todos os projetos, com 125 decisões de investimento (um aumento de 9% em relação a 2016). Em escala mundial, a França está entre os principais países inovadores, como demonstrado por vários rankings internacionais, tais como o Deloitte Technology Fast 500 EMEA 2017, onde a França ocupa a primeira posição. A pesquisa da Kantar Public 2017 também aponta que 81% dos investidores estrangeiros consideram a inovação francesa como uma vantagem competitiva.  Os países europeus continuam sendo os principais investidores na França, com 58% de todas as decisões de investimento, seguidos pela América do Norte, com 23% e Ásia, com 13%. Esta última região permanece estável, com exceção da Índia, que registrou o maior aumento dos investimentos entre os países emergentes, + 73%. Os Estados Unidos ocupam o primeiro lugar, com 230 projetos, representando 18% de todos os investimentos. O país contribui, sozinho, através de suas subsidiárias, com um quarto dos investimentos em P&D. A diversidade dos territórios da França é um fator de atratividade. As atividades de produção estão concentradas nas regiões de Auvergne-Rhône-Alpes, Grand Est, Hauts de France e Occitanie; os projetos de logística estão localizados em Ile-de-France, que atrai 45% dos empregos criados neste setor; e os investimentos em atividades de P&D foram particularmente dinâmicos nas regiões de Auvergne-Rhône-Alpes, Bourgogne-Franche-Comté, Bretagne e Hauts-de-France. Os investimentos originários da América Latina também foram muito dinâmicos em 2017! Cerca de cem empresas latino-americanas estão presentes na França, onde empregam cerca de 5.700 pessoas. Elas investiram um total de 1,4 bilhões de Euros no país. Em 2017, foram identificados 22 novos investimentos provenientes da América Latina. Trata-se principalmente de centros de decisão (64% dos projetos e 70% do emprego), incluindo a criação de duas sedes mundiais / europeias. Em termos de setores de negócios, esses investimentos são principalmente nos setores de software e serviços de TI (18% dos projetos), consultoria, engenharia (18%) e perfumaria e cosméticos (14%). Estes projetos estão localizados principalmente em Ile-de-France (36% dos projetos e 58% dos empregos). O Brasil se destaca na América Latina: é o primeiro país em número de investimentos na França (14 projetos), seguido pelo México (7 projetos). Dentre os investimentos do Brasil na França, podemos destacar: Sislor: empresa brasileira de engenharia especializada na concepção e desenvolvimento de tecnologias aplicadas à logística reversa para o tratamento de resíduos domésticos. A Sislor abriu sua primeira implantação em Rouen (Normandia), onde deve criar dez empregos em uma primeira fase.  MJV: empresa brasileira de consultoria em negócios, tecnologia e transformação digital voltada para questões de inovação, a MJV acompanhava seus clientes europeus a partir de Londres. Após o Brexit, a empresa abriu um escritório em Paris (Île-de-France) para se reposicionar. Um emprego foi transferido de Londres para Paris e uma dezena de contratações está sendo planejada. INNOVATEC’S: Criada em 2000, a empresa brasileira de biotecnologia e nanotecnologia Innovatec’s acaba de inaugurar sua primeira subsidiária europeia, a Nanoskin Medical’s, em Drulingen (Grand Est). Especializada em medicina regenerativa, a Nanoskin Medical’s deseja desenvolver estudos detalhados para o uso de células-tronco veiculadas por pele artificial. Esta subsidiária criará cinco empregos em três anos. "A Inovação e a produção ocupam um lugar de honra, além das vantagens estruturais reconhecidas de nosso país. A nova imagem da França, que se desenha há alguns meses, atrai investidores estrangeiros que decidem escolher a França para seus projetos na Europa. As equipes da Business France trabalham todos os dias para convencer esses investidores sobre a atratividade do nosso território. O apoio e assessoria da Business France e de seus parceiros regionais estão na origem de 677 decisões de investimento, representando mais da metade de todos os investimentos estrangeiros em 2017 ", disse Christophe Lecourtier, Diretor Geral da Business France.    Mais informações e entrevistas:  Serviço de Imprensa da Business France no Brasil  Vera dos Anjos  Mtb: 14.534 vera.dosanjos@businessfrance.fr Tel: (11) 3087 3122   Sobre a Business France Business France é a agência nacional de apoio à internacionalização da economia francesa, responsável por impulsionar o crescimento das exportações de empresas francesas, bem como prospectar e facilitar os investimentos estrangeiros na França. Ela promove a atratividade e a imagem econômica da França, suas empresas e seus territórios. A Business France conta com 1.500 colaboradores, situados na França e em 70 países, que trabalham com uma rede de parceiros do setor público e privado.  Para mais informações, visite: www.businessfrance.fr  Acesse o documento em .pdf abaixo para obter a versão completa do texto.   


DOING BUSINESS NA FRANÇA 2016: COMO CRIAR UMA EMPRESA

Gabriella Martins - 27-juil.-2017 22:43:03

"Há mais de 25.000 empresas estrangeiras em operação na França. Juntas, elas empregam quase dois milhões de pessoas. Não há melhor publicidade que essa para o ambiente de negócios do nosso país. Sua resoluta atratividade como local de negó- cios pode ser comprovada pela classificação da França em terceiro lugar no número de projetos de investimento estrangeiro com criação de empregos recebidos em 2015, na Europa, e pela liderança como destino de investimentos estrangeiros no setor. Aberta ao mundo e a todos os tipos de talentos, a França tem um comprometimento em fazer todo o possível para atrair e ajudar os investidores a expandirem seus negócios em solo francês. O guia Doing Business é criado nesse mesmo espírito de hospitalidade e busca fornecer informações importantes aos investidores sobre uma ampla variedade de questões jurídicas, fiscais e sociais que possam surgir ao estabelecer e administrar uma subsidiária estrangeira na França. (...)"


A FRANÇA À FRENTE NA CLASSIFICAÇÃO DO “SOFT POWER”, GRAÇAS A MACRON.

Vera Dos Anjos - 20-juil.-2017 23:19:40

  Les Echos , 18 de Julho de 2017.   O índice - que leva em conta fatores tão diversos como gastronomia e cultura - coloca a França em destaque. A política pró-europeia do novo presidente tem seu valor reconhecido. A França dribla os Estados Unidos. O país é no momento o mais influente do mundo em termos de “soft power”, ou seja, em sua capacidade de convencer e influenciar através de meios não coercitivos, como a cultura e o digital, segundo o estudo anual publicado na última terça-feira, dia 18 de julho de 2017, denominado “SoftPower30”. Na classificação anterior, a França apontava em 5º lugar. O índice que compilou nos últimos 3 anos dados de 40 países, considera fatores tão diversos quanto a gastronomia, as proezas esportivas ou ainda a atratividade turística. Impacto da eleição de Emmanuel Macron Mesmo que Emmanuel Macron só tenha chegado à Presidência há dois meses, o estudo salienta a influência dessa eleição para a classificação. “ O soft power da França beneficiou-se da derrota do Front National e da eleição de seu mais jovem presidente, salienta o estudo. Eleito com um programa decididamente pró-europeu, o presidente é popular, tanto na França, quanto no plano internacional”. Apesar da onda de atentados, a França ainda é atrativa aos turistas que podem aproveitar da “sua cultura e de seu estilo de vida” pois a “gastronomia francesa é incomparável”. A política digital de Emmanuel Macron também teve importância nesta classificação. Nesse quesito, o novo presidente foi comparado ao canadense Justin Trudeau e ao argentino Mauricio Macri. Na verdade, a França é líder no setor de engajamentos internacionais, com sua política multilateral. Em matéria de influência cultural e de política digital, o país se encontra em 3ª posição, logo atrás dos Estados Unidos e do Reino Unido. Os Estados Unidos são rebaixados Os Estados Unidos, que ocupavam a primeira colocação na classificação no ano passado, estão agora relegados à terceira posição. “A Política de Donald Trump, America first, teve efeitos negativos no exterior, colocando alguns aliados em posição contrária e cortando relações com o resto do mundo”, nota o relatório. A política isolacionista do novo presidente e sua decisão de se retirar do Acordo de Paris sobre o clima, também teve seu papel no rebaixamento do país. Além disso, o novo ocupante da Casa Branca demostrou claramente sua ambição de focar mais no “hard” do que no “soft power”. Em fevereiro, Donald Trump demostrava sua vontade de aumentar as verbas militares em 54 bilhões de dólares, para elevar o orçamento da Defesa em 604 bilhões de dólares por ano. A decisão do Presidente de reduzir a ajuda internacional e o orçamento da diplomacia também tiveram um impacto sobre a influência do país. Os Estados Unidos   permanecem, entretanto, bem à frente no que se refere à educação, aonde se encontram “as melhores universidades do mundo e que atraem mais estudantes internacionais “ observa o relatório. Impacto do Brexit Quanto ao Reino Unido, à frente por três anos, ele se situa agora em segundo lugar. A causa? O impacto do Brexit. A incerteza nas negociações e a saída do país de uma organização internacional maior pesaram na classificação.   Para continuar a exercer um papel na área do soft power, o país deve ser, segundo o relatório, “um campeão na abertura, na tolerância e na colaboração internacional”. https://www.lesechos.fr/monde/enjeux-internationaux/010150991110-la-france-en-tete-du-classement-soft-power-grace-a-macron-2102710.php    


A França sobe na classificação de Atratividade-A.T. Kearney

Gabriella Martins - 30-mai-2017 22:51:38

  A França sobe na classificação de Atratividade-A.T. Kearney       PARIS, 18 de abril (Reuters) – A França se tornou um pouco mais atraente para grandes investidores internacionais em relação ao ano anterior, apesar da insegurança frente às eleições presidencial e legislativa (a última a ocorrer ainda), segundo um estudo publicado terça-feira (16 de abril), pelo escritório A.T. Kearney.    A França alcançou este ano, o 7º lugar na classificação anual do índice de confiança de investimentos diretos estrangeiros - (IDE), compilado pela A.T. Kearney, sendo sua melhor colocação até o momento. Uma acima da de 2016.    Ela avançou nove lugares (é a 4ª) quanto aos planos de investimentos de empresas americanas e mais nove lugares (é a 5ª) no quesito planos de investimentos de empresas do setor tecnológico.    Essa medição realizada em janeiro, junto a 500 dirigentes de empresas que têm rendimento superior a 500 milhões de dólares em 30 países, ainda é dominada pelos Estados-Unidos.    A Alemanha segue como a 2ª colocada, tendo galgado duas posições, e é seguida pela China (3ª). A Grã-Bretanha e o Canadá fecham a lista dos 5 primeiros colocados, com o 4º e o 5º lugar, respectivamente.     A França se encontrava no 17º lugar em 2012 e veio pouco a pouco conquistando posições mais altas na classificação. A A.T. Kearney atribui sua progressão graças às medidas tomadas a fim de melhorar a produtividade e o ambiente de investimentos.    “ Em um contexto de eleições presidenciais para os menos indecisos, a manutenção da classificação é de se admirar ”, complementa Xavier Mesnard, associado da A.T. Kearney.    “ A França dispõe de vantagens estruturais fortes, iniciativas como a French Tech e a Business France, que conseguiram chamar a atenção internacionalmente: posição geográfica, infraestrutura, demografia, educação”, completa.    “Suas fraquezas aos olhos dos investidores internacionais, como o custo do trabalho e a regulamentação ambiental são alavancas sobre as quais precisamos continuar a intervir ”, continua,   julgando que há “boas razões para ser otimista, na medida em que a vontade e a capacidade para realizar reformas estão na pauta ”.   (Yann Le Guernigou, editado por Yves Clarisse).     Os detalhes do estudo e a classificação dos países se encontram em:   https://www.atkearney.com/gbpc/foreign-direct-investment-confidence-index  


A França: um destino cada vez mais atrativo…

Gabriella Martins - 26-mai-2017 17:35:24

    A França: um destino cada vez mais atrativo…     A França foi o destino de 1.117 decisões de investimento por parte de empresas estrangeiras em 2016, ou seja, 21 decisões em média por semana e um crescimento de 16% em relação a 2015. Essas decisões criaram ou mantiveram 30.108 empregos no ano.      É o melhor resultado já registrado pela França ao longo dos dez últimos anos , como demonstra o “Relatório sobre a internacionalização da economia francesa – Balanço dos investimentos estrangeiros na França em 2016”.     A França atrai novas empresas . O número de novas implantações no país cresceu 20% em 2016 e representa a maioria dos investimentos decididos no ano (51%).     Logística, produção e inovação são os propulsores dessa tendência . As empresas estrangeiras investem em primeiro lugar nas atividades de produção e logística com 31% de investimentos realizados no país e 50% de empregos criados.      A internacionalização na França é uma etapa para uma internacionalização mais global. Em 2016, 30% das exportações francesas foram realizadas por filiais de grupos estrangeiros implantados na França.     O posicionamento geográfico da França, associado às infraestruturas de transporte de qualidade, a tornam um hub para o acesso a outros continentes. Mais de 80% das empresas estrangeiras consideram a França como uma plataforma para a exportação.     A inovação também está no centro das estratégias de implantação na França. Os projetos de pesquisa e desenvolvimento representam 10% das decisões de investimento; eles aumentaram 32% em relação a 2015. No geral, a contribuição das filiais dos grupos estrangeiros para os investimentos em pesquisa e desenvolvimento na França é de 28%.   A Alemanha e os Estados Unidos apostam na França. Os principais investidores na França são, pela primeira vez, as empresas alemãs (17%), que investem principalmente na produção de bens. As empresas americanas representam 13% dos investimentos totais, e ¼ dos investimentos em P&D. Os investimentos italianos representam 13% do total e o Japão é o primeiro investidor asiático.   Os países da União europeia são os primeiros investidores na França, representando 60% das decisões de investimento. Vêm depois a América do Norte (20%) e a Ásia (12%).   Os investidores estrangeiros beneficiam-se de um apoio real em seus processos de investimento. A Business France, agência publica que promove a atratividade econômica da França, e seus parceiros regionais estão na origem de mais da metade das decisões de investimento (643 em relação às 1.117 decisões). Em 2016, 3.360 empresas estrangeiras foram contatadas pelas equipes da agência na França e no exterior.   « A contribuição do investimento estrangeiro à economia de nosso país não precisa mais ser demonstrada, principalmente na P&D e na produção industrial. As filiais dos grupos estrangeiros empregam 21% dos funcionários na França nos setores da indústria. As equipes da Business France se dedicam todo o dia a convencer investidores estrangeiros da atratividade de nosso território, com o apoio de nossos parceiros regionais” constata Muriel Pénicaud, Diretora Geral da Business France.      … Também paras as empresas latino-americanas   A América Latina deu início à sua internacionalização e a França se posiciona como um destino estratégico. Mais de uma centena de empresas da América Latina estão presentes na França, as quais empregam mais de 4.000 funcionários.     RANKING DAS EMPRESAS LATINOAMERICANAS NA GERAÇÃO DE EMPREGOS NA FRANÇA     EMPRESA ORIGEM SETOR EMPREGOS CEMEX México Construção 2.000 VALE Brasil Metais 1.000 – 1.500 JBS Brasil Agrobusiness 700 - 800 MEXICHEM México Química 400 - 500 SIGDO KOPPERS Chile Construção 400 - 500     A França representou em 2016 25% dos investimentos latino-americanos na Europa, sendo um nível equivalente ao da Espanha (25%). Seguem a Suíça, o Portugal e a Alemanha (10% cada um). Em 2016, sete novos investimentos provenientes da América Latina foram realizados, permitindo assim, a criação de 89 empregos.   Os ¾ desses investimentos tinham como objetivo a criação de matrizes europeias, essencialmente no setor de softwares e informática, e de distribuição/supermercadista. Eles estão majoritariamente localizados na região da PACA e da Île-de-France.         Três empresas brasileiras se implantaram na França em 2016:     MOVILE: a empresa Maplink, que desenvolve softwares para a geolocalização e a logística, faz parte do grupo Movile desde 2004. Maplink comprou a empresa francesa Optilogistic, especializada em softwares de eficiência logística e implantada na cidade de Angers, na região Pays-de-la-Loire. Essa operação de 20 milhões de euros deverá criar mais de 20 empregos em Angers.     100%: A empresa 100%, especializada na moda praia, abriu sua primeira subsidiária europeia em Marseille. O escritório de Marseille vai empregar umas 10 pessoas.     BRB Bijoux: especializada na criação de bijuterias e produtos gourmets (brigadeiros), a empresa abriu sua sede europeia na França. Seus clientes são restaurantes, organizadores de eventos, padarias, pequenas lojas de moda, etc. Depois da França, a empresa quer expandir-se em outros países europeus (Itália, Espanha, Portugal, etc.)     O programa French Tech Ticket valoriza a qualidade das startups latino-americanas na conquista do mercado francês     Convencida da importância do papel das startups na economia de amanhã, a França quer internacionalizar o ecossistema empresarial, atraindo para seu território talentos, startups, scale-ups, investidores e mídias internacionais     Dentre os diversos programas desenvolvidos, o French Tech Ticket v isa a facilitar a criação de startups internacionais na França , através de uma série de vantagens:     Financiamento de € 45,000 por time sem perda de capital (€ 20k para cobrir despesas pessoais e € 25k para cobrir serviços profissionais). 12 meses de incubação em uma das 41 incubadoras francesas parceiras. Procedimento acelerado para a obtenção de uma permissão de residência francesa. Programa de Aceleração com aulas inaugurais sob medida, eventos para networking e sessões de mentoring. “Guia de Boas-Vindas” e ofertas especiais de nossos parceiros a fim de auxiliar os ganhadores a se instalarem facilmente na França. Contato de assistência no formato “ Help Desk ” aos empreendedores estrangeiros para procedimentos administrativos.   Em dois anos, 230 empreendedores estrangeiros foram selecionados, após a análise de 4.500 candidaturas provenientes de mais de 100 países, para lançar suas startups na França e se beneficiar das facilidades e do acompanhamento específico proposto pelo Estado francês e pelos parceiros do programa French Tech Ticket.   Prova do espírito de inovação latino-americano , as startups da região ocupam um lugar significativo no concurso French Tech Ticket. Em 2016, elas apresentaram 389 projetos , representando cerca de 14% dos projetos globais e um crescimento de 170% em relação a 2015. As empresas brasileiras apresentaram 118 projetos em 2016 versus 76 em 2015.   Prova da qualidade do empresariado latino-americano , 14 startups latino-americanas foram premiadas, representando 20% do total de premiados no mundo.   O Brasil está no alto do pódio com a 4ª colocação mundial em termos de premiados, com sete startups, que representam 50% dos premiados latino-americanos e 10% dos premiados mundiais.       As seguintes empresas brasileiras foram selecionadas:       BIZ.U – Rio de Janeiro   Startup de análise de RH. Mede traços de personalidade e os transforma em dados sobre o comportamento e a compatibilidade do candidato para um determinada vaga de emprego, ajudando assim, a tomada de decisão do RH ( WWW.BIZU.VC )     CUBOS – Sao José (Santa Catarina)   Concepção e produção de satélites de baixo custo para instituições e governos, no mundo todo, a fim de lançar missões espaciais com maior frequência e de maneira mais econômica ( WWW.CUBOS.SPACE )     GIGLOOP - Joinville   Gigloop racionaliza a reserva de talentos da música para performances live ( WWW.GIGLOOP.COM )     KG PROTECH – São Paulo   KG Protech propõe a formação de técnicos automotivos à distância simulando defeitos dentro de um carro graças a seus dados próprios ( WWW.KGPROTECH.COM )     NURTURE – Porto Alegre   Um app com uma assistente inteligente que troca mensagens de SMS com pacientes e os analisa utilizando algoritmos de machine learning para detectar o nível de humor e motivação dos pacientes. Um conteúdo baseado em teorias comportamentais é enviado para encorajar a adesão dos pacientes a tratamentos e regimes (WWW.NURTURE.BE)     SOLUZ ENERGIA - Florianópolis   Consiste em um equipamento de troca de calor preso em um painel fotovoltaico para recuperar a energia termal residual, esquentando a água e esfriando as células. Dessa forma, o consumo de eletricidade é reduzido ( WWW.SOLUZENERGIA.COM )     WISEREADER – Sao Paulo   Cria livros digitais personalizados seguindo as preferências de cada leitor.     ( WWW.WISEREADER.IO )     Para melhor acolher esses talentos e as mulheres e os homens que encabeçam esses projetos, a França põe à disposição um dispositivo específico e moderno     O site « Welcome to France » , lançado pela Business France, é um serviço de informação destinado aos talentos estrangeiros e às suas famílias, em deslocamento/mobilidade profissional. Ele tem por objetivo os guiar nas primeiras etapas da expatriação na França, oferecendo um site único que concentra o conjunto das informações e etapas necessárias para otimizar a sua chegada na França (visto, título de residência e autorização de trabalho, fiscalização, proteção social, dia-a-dia – escolarização, moradia, etc.)     Segundo Michel Sapin, Ministro da Economia e das Finanças, “A implantação de dispositivos completos de acolhimento é útil e necessária para fazer do nosso país um espaço acolhedor para todos aqueles que queiram trabalhar, montar seus negócios, investir na França.   Essa facilitação dos procedimentos é uma etapa chave na nossa política em prol da atratividade do nosso país. Outras ações foram promovidas nesse sentido nos últimos meses, especialmente com a implantação de um regime fiscal mais favorável para estes talentos recentemente instalados em nosso país. Dessa forma, a Lei de Finanças para 2017 adotou a prorrogação para oito anos do regime especial aplicado aos expatriados. Essas disposições colocam a França entre os países melhores dotados na Europa para receber talentos. Enfim, o governo comprometeu-se em abrir turmas internacionais, o quanto for necessário, nos colégios e liceus franceses a fim de facilitar a escolarização dos filhos destes expatriados. ”     O “French Tech Visa” também será lançado no outono de 2017. Esse dispositivo se apoia sobre o novo título de residência francês “Passeport Talent” que foi lançado no final de 2016 (um título de residência com duração máxima de quatro anos, renovável, e que tem como objetivo facilitar o acesso ao direito de residência aos talentos que a França pretende acolher cada vez mais) e oferece um acompanhamento passo-a-passo para a obtenção dos títulos de residência.  


Conheça nossa equipe
  Richard Gomes - Diretor Business França América Latina. Depois de completar seu VIA no Brasil em 1996, Richard Gomes ocupou vários cargos de Direção no setor das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) na França, Portugal e Califórnia. Ele liderou o departamento de Novas Tecnologias, Inovação e Serviços em Ubifrance, em Paris, de 2009 a 2012 e foi Diretor de Negócios França-Península Ibérica de 2012 a 2017, antes de retornar ao Brasil em setembro de 2017. Sua experiência em TIC, bem como seu bom conhecimento sobre o ambiente tecnológico francês e americano, permitiram que ele fosse eleito entre as 100 personalidades digitais na França pela revista 01Informatique (novembro de 2010). Richard possui um DESS em Bancos e finanças e mestrado em economia e finanças internacionais pela

Leia mais

Facebook
Area de Imprensa & Mídia
Lista de últimos comentários

Excelente evento! Parabéns pela org...

Mauro Henrique Pereira | octobre 22, 2014

O Seminário foi um sucesso. Parab&#...

Peter Alouche | mars 26, 2013

Parabenizo à UbiFrance pela realiza...

Marcelo Sakai | Covoiturage/Caronas | djengo.com.br | mars 19, 2013