Business France Brésil

Balanço 2018 dos Investimentos Estrangeiros na França

Vera dos Anjos - 16-avr.-2019 20:38:40

  INVESTIMENTOS ESTRANGEIROS CRESCEM NA FRANÇA EM 2018 O "Balanço de 2018 para os investimentos internacionais na França", publicado hoje, em Paris, confirma a confiança renovada dos investidores estrangeiros para investirem na França. Os números foram revelados em uma coletiva de imprensa realizada pelo Ministro da Economia e das Finanças, Bruno Le Maire em Bercy, na presença do CEO da Business France, Christophe Lecourtier e de Pascal Cagni, Embaixador Delegado para Investimentos Internacionais. Em 2018, 1.323 decisões de investimentos foram registradas, revelando aumento de 2% com relação a 2017 (1.298), o que permitiu  a criação ou manutenção de 30.302 empregos. Em média, 25 decisões de investimentos foram registradas na França a cada semana, no ano passado. As decisões de novas implantações aumentaram em 14% em 2018. Foram 741 decisões em 2018, contra  651 em 2017, o que representa mais de metade dos investimentos (56%). Esse aumento nas decisões de abertura de novos estabelecimentos no país reflete o fortalecimento de sua atratividade. Foram 500 extensões de projetos existentes, criando 15.588 empregos (ou seja, 50% de todos os empregos criados por investimentos estrangeiros) em 2018, contra 551 projetos e 12.855 empregos em 2017. Deve-se notar que 78% das atividades de produção correspondem a extensões de projetos. As empresas estrangeiras continuam investindo em atividades produtivas com 320 projetos, gerando ou mantendo 11.295 empregos em 2018. Essas atividades são as maiores geradoras de emprego, representando 37% do total e um quarto do conjunto dos investimentos. "A melhoria da imagem da França se traduz em investimentos significativos em atividades industriais. Testemunhando a dinâmica das empresas multinacionais estrangeiras na indústria estão: a Collins Aerospace, líder mundial americana em sistemas e soluções de tecnologia para a indústria aeronáutica, que investiu mais de 18 milhões de euros na Occitânia; a empresa canadense Robotiq, que projeta e fabrica componentes para robôs colaborativos (mãos robóticas), se implanta em Lyon para brilhar na Europa; ou ainda o grupo agroalimentar japonês Takara Foods, que anunciou a implantação de uma fábrica de "lámen" com um investimento de 1,6 milhões de euros e muito mais ", disse Christophe Lecourtier. As decisões de investimentos nas áreas de P&D, engenharia e design estão em constante progressão (+3%), com 129 projetos e 2.793 postos de trabalho em 2018, contra 2.282 em 2017. Observemos que os investimentos em P&D correspondem a 58% das implantações de novos centros. As empresas americanas destacam-se por seu envolvimento em P&D: elas representam mais de um quarto das decisões registradas nessa função e 21% dos empregos associados. "Em termos mundiais, a França confirma que se encontra entre os grandes players em termos de inovação. As atividades de P&D aumentaram numa taxa média de 9% nos últimos cinco anos e hoje representam 10% do total de investimentos. A cada ano, os gigantes globais da Tecnologia (Cisco, Google, Facebook ...) reforçam sua presença na França ", confirma Pascal Cagni. Os investimentos europeus continuam predominantes: 61% dos investimentos estrangeiros geradores de empregos na França são de origem europeia, contra 58% em 2017. Mas olhando detalhadamente, na classificação por origem das empresas, os principais países investidores são: Estados Unidos, com 18% das empresas investidoras (mesmo nível de 2017), Alemanha, com 14% das empresas e Reino Unido, com 9% das empresas.    OS INVESTIMENTOS PROVENIENTES DA AMÉRICA LATINA TAMBÉM FORAM MUITO DINÂMICOS EM 2018 Em 2018, 15 novos investimentos geradores de emprego, oriundos da América Latina foram identificados, permitindo a criação ou a manutenção de 198 vagas de empregos. Esses projetos são originários principalmente do Brasil (8 projetos), da Argentina (2 projetos) e do México (2 projetos). São sobretudo centros de decisão (73% dos projetos e 63% dos empregos) e unidades de produção (13% dos projetos e 30% dos empregos).   Em termos de setores de atividades, esses investimentos referem-se principalmente aos setores de consultoria e engenharia (27% dos projetos e 35% dos empregos), softwares e serviços de TI (20% dos projetos e 14% dos empregos) e perfumes e cosméticos (13% dos projetos).   Tais projetos localizam-se principalmente nas regiões de Île-de-France (47% dos projetos e 48% dos empregos) e em Auvergne-Rhône-Alpes (27% dos projetos e 15% das vagas de trabalho).    No total, mais de cem empresas francesas são controladas por um investidor da América Latina, empregando cerca de 7.000 pessoas na França. EXEMPLOS DE PROJETOS DE INVESTIMENTOS LATINO-AMERICANOS NA FRANÇA – 2018  Globant: unicórnio argentino, a empresa de serviços de TI (pure-player  digital) tem a ambição de se estabelecer como líder de mercado em estratégia digital. Desenvolvendo projetos com diversos grupos na França, ela deve criar 50 empregos na região de Île-de-France.  Go Gaba: a startup mexicana desenvolveu uma bebida estimulante que facilita a concentração, graças a um produto natural, abriu uma filial na região de Île-de-France. Este escritório contará com cerca de dez pessoas. Marq Consultoria: esta PME brasileira especializada em gestão de negócios e sistemas de informação,  abriu sua sede europeia em Lyon (Auvergne-Rhône-Alpes), com 10 postos de trabalho. A CSMARQ será encarregada da expansão da empresa no mercado da indústria hoteleira na Europa que se encontra em plena revolução digital. RiskNow: A FinTech brasileira oferece uma plataforma de gestão e análise de risco ligada aos créditos imobiliários, para facilitar a tomada de decisões por parte dos investidores. A empresa abriu seu escritório europeu em Paris (atividades comerciais e de P&D em inteligência artificial). Ao todo, 15 vagas de trabalho serão criadas. Sigdo Koppers: o grupo chileno decidiu aumentar em 50% a capacidade de produção de sua subsidiária francesa Davey Bickford Enaex, que criará cerca de sessenta empregos. Com sede em Héry (Bourgogne-Franche-Comté), esta empresa de 600 pessoas é o especialista mundial em detonadores e dispositivos de arranque utilizados na mineração, defesa, aeronáutica, espacial e em pirotecnia.   Tenha acesso ao Balanço completo em:  https://www.businessfrance.fr/discover-france-news-business-france-publishes-2018-annual-report   Sobre a Business France  Business France é a Agência Nacional de apoio à Internacionalização da economia francesa. Está encarregada do desenvolvimento internacional das empresas francesas e de suas respectivas exportações, bem como da promoção e do apoio aos investimentos estrangeiros na França.  Ela promove a imagem econômica e a atratividade internacional da França, de suas empresas e de  seus territórios. Ela gerencia e desenvolve o Voluntariado Internacional nas Empresas - V.I.E. A Business France dispõe de 1.500 colaboradores, localizados na França e em outros 58 países. Business France é no Brasil a porta de entrada para a Team France Export. Graças aos seus dois escritórios em São Paulo e no Rio de Janeiro, a equipe da Business France (30 pessoas) acompanha cada ano mais de 350 empresas. Ela trabalha com sua rede de escritórios na América latina (Argentina, Chile, Colômbia e Mexico) e se apoia em parceiros públicos e privados.  Para mais informações www.businessfrance.fr      Siga-nos pelas redes sociais: Twitter: @BF_Brazil  e LinkedIn : Business France Brazil   Contato Imprensa: BUSINESS FRANCE/ BRASIL Vera Lucia dos Anjos Gerente de Comunicação e Marketing Tel. : (011) 30 87 31 22 E-mail : vera.dosanjos@businessfrance.fr  


Appel à candidature prestataires de service

Cristina Afonso - 10-sept.-2018 20:48:11

Appel à candidature – prestataires de service   Business France est souvent sollicitée pour recommander des entreprises à ses clients, s’agissant de services qu’elle ne fournirait pas directement ou indirectement, en raison du principe de spécialité qui s’impose aux établissements publics. Dans ce cadre, Business France Brésil lance une procédure de référencement de prestataires de services qui peuvent offrir des prestations périphériques et complémentaires à son action, selon le calendrier suivant : ·          Date limite de réception des offres : 28/09/2018 ·          Validation du choix par BUSINESS FRANCE : 05/10/2018 ·          Début d’exécution du référencement : 08/10/2018   Pour toute information sur cet appel à candidature / pour recevoir les dossiers de candidature, merci de contacter Cristina Afonso ( cristina.afonso@businessfrance.fr ) (011) 3087 3129    


Relatório sobre a internacionalização da economia francesa – Balanço de 2017

Vera Dos Anjos - 04-avr.-2018 23:13:47

      RELEASE As empresas estrangeiras confirmam cada vez mais a escolha  da  França para suas implantações na Europa   Brasil se destaca na América Latina: é o primeiro país em número de investimentos  na  França  com  14 projetos, seguido pelo México com 7 projetos.   Paris, 03 de abril de 2018.     O "Relatório sobre a internacionalização da economia francesa – Balanço de 2017 dos investimentos estrangeiros na França", confirma a confiança renovada dos investidores estrangeiros na França. Os números foram revelados em uma coletiva de imprensa realizada na sede da empresa americana Cisco, nos arredores de Paris, pelo ministro da Economia e Finanças, Bruno Le Maire e pelo Diretor Geral da Business France, Christophe Lecourtier. Em 2017, foram 1.298 decisões de investimentos na França, ou seja, um crescimento de 16% em relação a 2016 - uma média de 25 decisões por semana, que criaram ou mantiveram 33.489 postos de trabalho. 412 novas empresas decidiram escolher a França para desenvolver suas atividades, o que representa 32% do total dos projetos. Deve-se notar que 50% dos investimentos correspondem a aberturas de novos negócios (+14% em relação a 2016) e que 42% dos investimentos são extensões da atividade de negócios existentes (+ 22% em relação a 2016). "Este aumento do número de decisões de investimentos e do número de empregos ressalta a expansão da confiança em relação a uma França em movimento. A imagem econômica do nosso país está claramente em alta: de acordo com o estudo realizado pela Kantar Public para a Business France, 84% dos investidores estrangeiros (+ 10% em relação a 2016) julgam a economia francesa "atraente", assinala Christophe Lecourtier, Diretor Geral da Business France. As empresas estrangeiras investem principalmente em atividades de produção. Estas somaram 343 decisões de investimento em 2017 e criaram 16.123 empregos, o que representa 26% de todos os investimentos (e um aumento de +23% em relação a 2016). Os investimentos realizados pelas empresas alemãs (1º investidor de produção), americanas, italianas e belgas respondem por quase metade dos investimentos no setor de produção. Os projetos de pesquisa & desenvolvimento e engenharia respondem por 10% de todos os projetos, com 125 decisões de investimento (um aumento de 9% em relação a 2016). Em escala mundial, a França está entre os principais países inovadores, como demonstrado por vários rankings internacionais, tais como o Deloitte Technology Fast 500 EMEA 2017, onde a França ocupa a primeira posição. A pesquisa da Kantar Public 2017 também aponta que 81% dos investidores estrangeiros consideram a inovação francesa como uma vantagem competitiva.  Os países europeus continuam sendo os principais investidores na França, com 58% de todas as decisões de investimento, seguidos pela América do Norte, com 23% e Ásia, com 13%. Esta última região permanece estável, com exceção da Índia, que registrou o maior aumento dos investimentos entre os países emergentes, + 73%. Os Estados Unidos ocupam o primeiro lugar, com 230 projetos, representando 18% de todos os investimentos. O país contribui, sozinho, através de suas subsidiárias, com um quarto dos investimentos em P&D. A diversidade dos territórios da França é um fator de atratividade. As atividades de produção estão concentradas nas regiões de Auvergne-Rhône-Alpes, Grand Est, Hauts de France e Occitanie; os projetos de logística estão localizados em Ile-de-France, que atrai 45% dos empregos criados neste setor; e os investimentos em atividades de P&D foram particularmente dinâmicos nas regiões de Auvergne-Rhône-Alpes, Bourgogne-Franche-Comté, Bretagne e Hauts-de-France. Os investimentos originários da América Latina também foram muito dinâmicos em 2017! Cerca de cem empresas latino-americanas estão presentes na França, onde empregam cerca de 5.700 pessoas. Elas investiram um total de 1,4 bilhões de Euros no país. Em 2017, foram identificados 22 novos investimentos provenientes da América Latina. Trata-se principalmente de centros de decisão (64% dos projetos e 70% do emprego), incluindo a criação de duas sedes mundiais / europeias. Em termos de setores de negócios, esses investimentos são principalmente nos setores de software e serviços de TI (18% dos projetos), consultoria, engenharia (18%) e perfumaria e cosméticos (14%). Estes projetos estão localizados principalmente em Ile-de-France (36% dos projetos e 58% dos empregos). O Brasil se destaca na América Latina: é o primeiro país em número de investimentos na França (14 projetos), seguido pelo México (7 projetos). Dentre os investimentos do Brasil na França, podemos destacar: Sislor: empresa brasileira de engenharia especializada na concepção e desenvolvimento de tecnologias aplicadas à logística reversa para o tratamento de resíduos domésticos. A Sislor abriu sua primeira implantação em Rouen (Normandia), onde deve criar dez empregos em uma primeira fase.  MJV: empresa brasileira de consultoria em negócios, tecnologia e transformação digital voltada para questões de inovação, a MJV acompanhava seus clientes europeus a partir de Londres. Após o Brexit, a empresa abriu um escritório em Paris (Île-de-France) para se reposicionar. Um emprego foi transferido de Londres para Paris e uma dezena de contratações está sendo planejada. INNOVATEC’S: Criada em 2000, a empresa brasileira de biotecnologia e nanotecnologia Innovatec’s acaba de inaugurar sua primeira subsidiária europeia, a Nanoskin Medical’s, em Drulingen (Grand Est). Especializada em medicina regenerativa, a Nanoskin Medical’s deseja desenvolver estudos detalhados para o uso de células-tronco veiculadas por pele artificial. Esta subsidiária criará cinco empregos em três anos. "A Inovação e a produção ocupam um lugar de honra, além das vantagens estruturais reconhecidas de nosso país. A nova imagem da França, que se desenha há alguns meses, atrai investidores estrangeiros que decidem escolher a França para seus projetos na Europa. As equipes da Business France trabalham todos os dias para convencer esses investidores sobre a atratividade do nosso território. O apoio e assessoria da Business France e de seus parceiros regionais estão na origem de 677 decisões de investimento, representando mais da metade de todos os investimentos estrangeiros em 2017 ", disse Christophe Lecourtier, Diretor Geral da Business France.    Mais informações e entrevistas:  Serviço de Imprensa da Business France no Brasil  Vera dos Anjos  Mtb: 14.534 vera.dosanjos@businessfrance.fr Tel: (11) 3087 3122   Sobre a Business France Business France é a agência nacional de apoio à internacionalização da economia francesa, responsável por impulsionar o crescimento das exportações de empresas francesas, bem como prospectar e facilitar os investimentos estrangeiros na França. Ela promove a atratividade e a imagem econômica da França, suas empresas e seus territórios. A Business France conta com 1.500 colaboradores, situados na França e em 70 países, que trabalham com uma rede de parceiros do setor público e privado.  Para mais informações, visite: www.businessfrance.fr  Acesse o documento em .pdf abaixo para obter a versão completa do texto.   


DOING BUSINESS NA FRANÇA 2016: COMO CRIAR UMA EMPRESA

Gabriella Martins - 27-juil.-2017 22:43:03

"Há mais de 25.000 empresas estrangeiras em operação na França. Juntas, elas empregam quase dois milhões de pessoas. Não há melhor publicidade que essa para o ambiente de negócios do nosso país. Sua resoluta atratividade como local de negó- cios pode ser comprovada pela classificação da França em terceiro lugar no número de projetos de investimento estrangeiro com criação de empregos recebidos em 2015, na Europa, e pela liderança como destino de investimentos estrangeiros no setor. Aberta ao mundo e a todos os tipos de talentos, a França tem um comprometimento em fazer todo o possível para atrair e ajudar os investidores a expandirem seus negócios em solo francês. O guia Doing Business é criado nesse mesmo espírito de hospitalidade e busca fornecer informações importantes aos investidores sobre uma ampla variedade de questões jurídicas, fiscais e sociais que possam surgir ao estabelecer e administrar uma subsidiária estrangeira na França. (...)"


A FRANÇA À FRENTE NA CLASSIFICAÇÃO DO “SOFT POWER”, GRAÇAS A MACRON.

Vera Dos Anjos - 20-juil.-2017 23:19:40

  Les Echos , 18 de Julho de 2017.   O índice - que leva em conta fatores tão diversos como gastronomia e cultura - coloca a França em destaque. A política pró-europeia do novo presidente tem seu valor reconhecido. A França dribla os Estados Unidos. O país é no momento o mais influente do mundo em termos de “soft power”, ou seja, em sua capacidade de convencer e influenciar através de meios não coercitivos, como a cultura e o digital, segundo o estudo anual publicado na última terça-feira, dia 18 de julho de 2017, denominado “SoftPower30”. Na classificação anterior, a França apontava em 5º lugar. O índice que compilou nos últimos 3 anos dados de 40 países, considera fatores tão diversos quanto a gastronomia, as proezas esportivas ou ainda a atratividade turística. Impacto da eleição de Emmanuel Macron Mesmo que Emmanuel Macron só tenha chegado à Presidência há dois meses, o estudo salienta a influência dessa eleição para a classificação. “ O soft power da França beneficiou-se da derrota do Front National e da eleição de seu mais jovem presidente, salienta o estudo. Eleito com um programa decididamente pró-europeu, o presidente é popular, tanto na França, quanto no plano internacional”. Apesar da onda de atentados, a França ainda é atrativa aos turistas que podem aproveitar da “sua cultura e de seu estilo de vida” pois a “gastronomia francesa é incomparável”. A política digital de Emmanuel Macron também teve importância nesta classificação. Nesse quesito, o novo presidente foi comparado ao canadense Justin Trudeau e ao argentino Mauricio Macri. Na verdade, a França é líder no setor de engajamentos internacionais, com sua política multilateral. Em matéria de influência cultural e de política digital, o país se encontra em 3ª posição, logo atrás dos Estados Unidos e do Reino Unido. Os Estados Unidos são rebaixados Os Estados Unidos, que ocupavam a primeira colocação na classificação no ano passado, estão agora relegados à terceira posição. “A Política de Donald Trump, America first, teve efeitos negativos no exterior, colocando alguns aliados em posição contrária e cortando relações com o resto do mundo”, nota o relatório. A política isolacionista do novo presidente e sua decisão de se retirar do Acordo de Paris sobre o clima, também teve seu papel no rebaixamento do país. Além disso, o novo ocupante da Casa Branca demostrou claramente sua ambição de focar mais no “hard” do que no “soft power”. Em fevereiro, Donald Trump demostrava sua vontade de aumentar as verbas militares em 54 bilhões de dólares, para elevar o orçamento da Defesa em 604 bilhões de dólares por ano. A decisão do Presidente de reduzir a ajuda internacional e o orçamento da diplomacia também tiveram um impacto sobre a influência do país. Os Estados Unidos   permanecem, entretanto, bem à frente no que se refere à educação, aonde se encontram “as melhores universidades do mundo e que atraem mais estudantes internacionais “ observa o relatório. Impacto do Brexit Quanto ao Reino Unido, à frente por três anos, ele se situa agora em segundo lugar. A causa? O impacto do Brexit. A incerteza nas negociações e a saída do país de uma organização internacional maior pesaram na classificação.   Para continuar a exercer um papel na área do soft power, o país deve ser, segundo o relatório, “um campeão na abertura, na tolerância e na colaboração internacional”. https://www.lesechos.fr/monde/enjeux-internationaux/010150991110-la-france-en-tete-du-classement-soft-power-grace-a-macron-2102710.php    


A França sobe na classificação de Atratividade-A.T. Kearney

Gabriella Martins - 30-mai-2017 22:51:38

  A França sobe na classificação de Atratividade-A.T. Kearney       PARIS, 18 de abril (Reuters) – A França se tornou um pouco mais atraente para grandes investidores internacionais em relação ao ano anterior, apesar da insegurança frente às eleições presidencial e legislativa (a última a ocorrer ainda), segundo um estudo publicado terça-feira (16 de abril), pelo escritório A.T. Kearney.    A França alcançou este ano, o 7º lugar na classificação anual do índice de confiança de investimentos diretos estrangeiros - (IDE), compilado pela A.T. Kearney, sendo sua melhor colocação até o momento. Uma acima da de 2016.    Ela avançou nove lugares (é a 4ª) quanto aos planos de investimentos de empresas americanas e mais nove lugares (é a 5ª) no quesito planos de investimentos de empresas do setor tecnológico.    Essa medição realizada em janeiro, junto a 500 dirigentes de empresas que têm rendimento superior a 500 milhões de dólares em 30 países, ainda é dominada pelos Estados-Unidos.    A Alemanha segue como a 2ª colocada, tendo galgado duas posições, e é seguida pela China (3ª). A Grã-Bretanha e o Canadá fecham a lista dos 5 primeiros colocados, com o 4º e o 5º lugar, respectivamente.     A França se encontrava no 17º lugar em 2012 e veio pouco a pouco conquistando posições mais altas na classificação. A A.T. Kearney atribui sua progressão graças às medidas tomadas a fim de melhorar a produtividade e o ambiente de investimentos.    “ Em um contexto de eleições presidenciais para os menos indecisos, a manutenção da classificação é de se admirar ”, complementa Xavier Mesnard, associado da A.T. Kearney.    “ A França dispõe de vantagens estruturais fortes, iniciativas como a French Tech e a Business France, que conseguiram chamar a atenção internacionalmente: posição geográfica, infraestrutura, demografia, educação”, completa.    “Suas fraquezas aos olhos dos investidores internacionais, como o custo do trabalho e a regulamentação ambiental são alavancas sobre as quais precisamos continuar a intervir ”, continua,   julgando que há “boas razões para ser otimista, na medida em que a vontade e a capacidade para realizar reformas estão na pauta ”.   (Yann Le Guernigou, editado por Yves Clarisse).     Os detalhes do estudo e a classificação dos países se encontram em:   https://www.atkearney.com/gbpc/foreign-direct-investment-confidence-index  


Conheça nossa equipe
  Richard Gomes - Diretor Business França América Latina. Depois de completar seu VIA no Brasil em 1996, Richard Gomes ocupou vários cargos de Direção no setor das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) na França, Portugal e Califórnia. Ele liderou o departamento de Novas Tecnologias, Inovação e Serviços em Ubifrance, em Paris, de 2009 a 2012 e foi Diretor de Negócios França-Península Ibérica de 2012 a 2017, antes de retornar ao Brasil em setembro de 2017. Sua experiência em TIC, bem como seu bom conhecimento sobre o ambiente tecnológico francês e americano, permitiram que ele fosse eleito entre as 100 personalidades digitais na França pela revista 01Informatique (novembro de 2010). Richard possui um DESS em Bancos e finanças e mestrado em economia e finanças internacionais pela

Leia mais

Facebook
Area de Imprensa & Mídia
Lista de últimos comentários

Excelente evento! Parabéns pela org...

Mauro Henrique Pereira | octobre 22, 2014

O Seminário foi um sucesso. Parab&#...

Peter Alouche | mars 26, 2013

Parabenizo à UbiFrance pela realiza...

Marcelo Sakai | Covoiturage/Caronas | djengo.com.br | mars 19, 2013